As representações sociais da escola e do docente acerca do exercício da docência masculina em séries iniciais

DSpace/Manakin Repository

As representações sociais da escola e do docente acerca do exercício da docência masculina em séries iniciais

Show full item record

Title: As representações sociais da escola e do docente acerca do exercício da docência masculina em séries iniciais
Author: Souza, Alexandra Paula Cyrino dos Santos
Abstract: A docência masculina é uma prática pioneira na história da educação. Esta prática surge da necessidade de gerações mais velhas transmitirem conhecimento e informação a novas gerações. Assim, a educação tem como objetivo propiciar desenvolvimento ao indivíduo no s âmbitos da psicomotricidade, intelectualidade e socia bilidade . No Brasil, um país em desenvolvimento e marcado por acentuadas diferenças sociais , esta missão torna - se uma tarefa bastante complexão sistema de ensino no Brasil teve início nas bases aristocráticas, conferindo a educação um caráter seletista e excludente, pois a educação era ministrada pelos je suítas somente para os filhos dos aristocra tas . Com o processo de formalização do ensino, a prática da docência passa a atrair as mulheres que enxergam uma oportunidade de adquirir autonomia e independência financeira, visto que, elas já desenvolviam esta prática de modo informal, ou melhor, como c uidadoras de suas proles. As profissões estão historicamente ligadas a diferenças obtidas através dos gêneros feminino e masculino. Atualmente vivenciamos fenômeno s comuns a muitas profissões - o s fenômeno s da feminiza ção e da masculiniza ção . O magistério d e séries iniciais é uma das profissões estigmatizada por este fenômeno. Portanto, esta investigação, construída a partir da análise de dados, mostra como atuam os docentes homens em salas do ensino infantil (1° ciclo do Ensino Fundamental) e o modo como são percebidos pela escola e pela família. O essen cial neste estudo é compreender como foram construídas as representaç ões sociais que enquadram os poucos docentes masculinos que atuam em séries iniciais, assim como, apresentar os principais aspectos desta realidade. The male teaching is a pioneer practice in the history of education. This practice arises from the need of older generations to transmit knowledge and information to new generations. So the e ducation aims to foster individual development in the areas of psychomotor, intellectual ity and sociabil ity. In Brazil, a developing country marked by sharp social differences, this task becomes quite complex. Our education system began in aristocratic bases, providing education an exclusionary character, because education was taught by Jesuits only for the sons of aristocratic. With the formal ization process of education, the practice of teaching happens to attract women who see an opportunity to acquire autonomy and financial independence, since they have already developed this practice informally, as careg ivers of their offspring. The professions are historically linked to differences obtained from the male and female gender. The Magisterium of the initial series is one of the professions stigmatized by this phenomenon. This research, constructed from the d ata analysis, shows how these teachers work and how they are perceived by the school and the family. The key in this study is to understand how they are constructed the social representations that fit the few male teachers working in early grades, as well as presenting the main factors of this reality.
Description: Orientação: Maria das Graças Andrade Ataíde de Almeida; Co-orientação: José Brás
URI: http://hdl.handle.net/10437/5777
Date: 2014


Files in this item

Files Size Format View Description
Alexandra_Souza_Dissertação_FormatFinal (1).pdf 2.201Mb PDF View/Open Dissertação de Mestrado

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account