A vinculação e a perceção dos estilos parentais: implicações no desenvolvimento do autoconceito na criança

DSpace/Manakin Repository

A vinculação e a perceção dos estilos parentais: implicações no desenvolvimento do autoconceito na criança

Show full item record

Title: A vinculação e a perceção dos estilos parentais: implicações no desenvolvimento do autoconceito na criança
Author: Ribeiro, Cristiana de Oliveira
Abstract: As investigações têm vindo a fazer referência sobre o impacto que o estilo parental tem na qualidade da vinculação segura das crianças. Por outro lado, a literatura foca a importância da vinculação segura e dos estilos parentais, que fazem recurso ao suporte emocional, para o desenvolvimento de um autoconceito positivo da criança. O presente estudo tem como intenção, precisamente, analisar de que forma os estilos parentais elegidos pelos pais influenciam a vinculação segura da criança, e qual o impacto de ambos na representação do autoconceito por parte da criança. Participaram nesta investigação 242 crianças, 124 rapazes e 118 raparigas, com idades entre os 10 e os 14 anos para ambos os géneros e a frequentar o 5.º e o 6.º ano de escolaridade. No protocolo de avaliação foram incluídos os seguintes instrumentos: Questionário sóciodemográfico; versão portuguesa do IPPA-R – Inventory for Parent and Peer Attachment (IPPA-R (Pais) - Escala de Vinculação aos Pais de Figueiredo & Machado, 2010), para avaliar a qualidade da vinculação da criança aos pais; versão portuguesa do EMBU-C – Egma Minnen Betraffande Uppfostran (EMBU-C de Canavarro & Pereira, 2007), com fim à avaliação da percepção da criança sobre os estilos parentais do pai e da mãe; e a versão portuguesa do PHCSCSV1-6 – Piers-Harris Children’s Self-Concept Scale (PHCSCSV1-6 de Veiga, 2006), para avaliar o autoconceito da criança. Os resultados obtidos sugerem que os estilos parentais são preditores da qualidade de vinculação na criança, especialmente, que a perceção de suporte emocional contribui de forma positiva para a segurança da vinculação, contrariamente à rejeição. Por outro lado, as crianças que percepcionam o estilo parental dos pais de suporte e as que apresentam vinculação segura são as que evidenciam autoavaliação positiva do seu autoconceito. Foi ainda possível verificar que, relativamente à comparação entre rapazes e raparigas, não se identificaram diferenças significativas no autoconceito geral.Several investigations have been making reference to the impact that parenting style has on the quality of a secure attachment of children. On the other hand, the literature focuses the importance of secure attachment and parental styles, which apply emotional support, for the development of a positive child’s self-concept. This study intends, precisely, on how parenting styles elected by the parents influence the child's secure attachment and how the impact of both, influence the representation of the self-concept by the child. Have participated in this study 242 children, 124 boys and 118 girls, aged between 10 and 14 years old of both genders, attending 5th and 6th grade. In the evaluation protocol were included the following instruments: Sociodemographic questionnaire; portuguese version of IPPA-R - Inventory for Parent and Peer Attachment (IPPA-R (Parents) - Attachment Scale to Parents of Figueiredo & Machado, 2010), to assess the quality attachment to parents by the child; portuguese version of EMBU-C - Egma Minnen Betraffande Uppfostran (EMBU-C of Canavarro & Pereira, 2007), in order to evaluate the child's perception of parenting styles of father and mother; and the portuguese version of PHCSCSV1-6 - Piers-Harris Children's Self-Concept Scale (PHCSCSV1-6 of Veiga, 2006), to assess the child's self-concept. The results suggest that parenting styles are predictors of the children quality attachment, especially, that the perception of emotional support contributes positively to the security of the attachment unlike rejection. On the other hand, children who perceive parental style with support, and those with secure attachment, are the ones who demonstrate positive self-assessment of their self-concept. Was still possible to check, that relative to the comparison between boys and girls, weren't identify significant differences in overall self-concept.
Description: Orientação: José Manuel de Almeida Brites
URI: http://hdl.handle.net/10437/6367
Date: 2014


Files in this item

Files Size Format View
Temporario.pdf 12.34Kb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account