A relação da auto-eficácia, ajustamento emocional e qualidade de vida em adultos

DSpace/Manakin Repository

A relação da auto-eficácia, ajustamento emocional e qualidade de vida em adultos

Show full item record

Title: A relação da auto-eficácia, ajustamento emocional e qualidade de vida em adultos
Author: Francisco, Eugénia Maria Almeida
Abstract: Este estudo teve como objectivo avaliar a relação entre a auto-eficácia, ajustamento emocional e qualidade de vida numa amostra de adultos, foi utilizada a Escala de Auto-Eficácia Geral para avaliar a auto-eficácia; Escala de Ansiedade, Depressão e Stress (EADS), para aferir o ajustamento emocional e a World Health Organization Quality of Life-Bref (WHOQOL-BREF), para avaliar a qualidade de vida. A amostra foi constituída por 209 participantes, com idade entre os 18 e os 55 anos (M=36,50; DP=10,68). Os resultados demostraram inexistência de diferenças estatisticamente significativas na qualidade de vida entre estudantes e trabalhadores estudantes. Os sujeitos que praticam desporto e os que tem hobbies apresentam índices superiores na qualidade de vida. Os primeiros com valores mais elevados no domínio físico, relações sociais e meio ambiente. Os segundos no domínio das relações sociais. Os sujeitos com ausência de hobbies apresentam valores superiores de depressão. No que respeita ao sexo verificaram-se diferenças estatisticamente significativas no domínio físico, com valores superiores no sexo masculino. A qualidade de vida correlaciona-se de modo positivo com a auto-eficácia e de forma negativa com o ajustamento emocional. As habilitações literárias associam-se de modo negativo com o ajustamento emocional. Quanto maior o nível académico maiores os valores de depressão seguidos da ansiedade.This study improve to evaluate the relationship between self-efficacy, emotional adjustment and quality of life, for this purpose we used an adults sample. It was employed the General Self-Efficacy Scale to assess self-efficacy; Scale of Anxiety, Depression and Stress (EADS), to assess the emotional adjustment and the World Health Organization Quality of Life-Bref (WHOQOL-BREF), to assess the quality of life. The sample consisted of 209 participants, aged between 18 and 55 years, (M=36,50; DP=10,68). Results showed no statistically significant differences in quality of life between students and student workers. The subjects who practice sport and those who have hobbies present high rates of quality of life. The first ones with higher values in physical health, social relationships and environment. The second ones in the field of social relations. The subjects with no hobbies have higher values of depression. In relation to sex there were statistically significant differences in the physical domain, with higher values in males. The quality of life correlates positively with self-efficacy, and negatively with emotional adjustment. The qualifications are associated negatively with emotional adjustment. The higher the educational level the greater the depression, followed by anxiety.
Description: Orientação: Joana Brites Rosa
URI: http://hdl.handle.net/10437/6472
Date: 2014


Files in this item

Files Size Format View Description
Eugénia Francisco.pdf 896.3Kb PDF View/Open Dissertação de Mestrado

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account