9. “Gnosis”: Cristianismo gnóstico; Hermetismo e Neoplatonismo: as Raízes do Esoterismo na Antiguidade

DSpace/Manakin Repository

9. “Gnosis”: Cristianismo gnóstico; Hermetismo e Neoplatonismo: as Raízes do Esoterismo na Antiguidade

Show simple item record

dc.contributor.author Borges, Paulo
dc.contributor.author Gomes, Manuela
dc.contributor.author Francini, Tatiana
dc.contributor.author Ferré, Sanches
dc.contributor.author Raposo, Vitor Manuel
dc.contributor.author Mendia, Maria Cecília
dc.date.accessioned 2017-01-16T20:40:30Z
dc.date.available 2017-01-16T20:40:30Z
dc.date.issued 2017-01-16
dc.identifier.isbn 978-989-757-048-3
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/10437/7627
dc.description De acordo com Faivre, as tradições esotéricas do Ocidente têm as suas origens em diferentes formas de filosofia helénica, em particular o Gnosticismo, Hermetismo e Neoplatonismo, os quais por sua vez deixaram traços vitais nas três religiões abraâmicas . Estas correntes e as suas ciências tradicionais (alquimia, magia e astrologia) chegaram ao mundo ocidental medieval através das culturas Islâmica e Bizantina. Gilles Quispel releva a importância da gnose, sugerindo que a cultura Ocidental assenta fundamentalmente em três pilares: Racionalidade, Fé e Gnose. Efectivamente, numa perspectiva puramente histórica, encontramos na Antiguidade e período medieval, as raízes do esoterismo ocidental no cristianismo gnóstico, no hermetismo, e nas correntes neoplatónicas, de onde decorrem diversas correntes assimiladas posteriormente durante o Renascimento. O eixo temático deste painel/simpósio será portanto a Gnose, permitindo um maior aprofundamento dos diversos sistemas e correntes e seus conceitos teológicos, cosmológicos, antropológicos, soteriológicos. pt
dc.description.abstract De acordo com Faivre, as tradições esotéricas do Ocidente têm as suas origens em diferentes formas de filosofia helénica, em particular o Gnosticismo, Hermetismo e Neoplatonismo, os quais por sua vez deixaram traços vitais nas três religiões abraâmicas . Estas correntes e as suas ciências tradicionais (alquimia, magia e astrologia) chegaram ao mundo ocidental medieval através das culturas Islâmica e Bizantina. Gilles Quispel releva a importância da gnose, sugerindo que a cultura Ocidental assenta fundamentalmente em três pilares: Racionalidade, Fé e Gnose. Efectivamente, numa perspectiva puramente histórica, encontramos na Antiguidade e período medieval, as raízes do esoterismo ocidental no cristianismo gnóstico, no hermetismo, e nas correntes neoplatónicas, de onde decorrem diversas correntes assimiladas posteriormente durante o Renascimento. O eixo temático deste painel/simpósio será portanto a Gnose, permitindo um maior aprofundamento dos diversos sistemas e correntes e seus conceitos teológicos, cosmológicos, antropológicos, soteriológicos. pt
dc.format application/pdf
dc.language.iso por pt
dc.rights openAccess
dc.subject RELIGIÃO pt
dc.subject RELIGION en
dc.subject ARTE pt
dc.subject ART en
dc.subject ESOTERISMO OCIDENTAL pt
dc.subject WESTERN ESOTERICISM en
dc.subject ESTÉTICA pt
dc.subject AESTHETICS en
dc.subject SIMBOLISMO pt
dc.subject SYMBOLISM en
dc.subject FILOSOFIA pt
dc.subject PHILOSOPHY en
dc.subject HISTÓRIA pt
dc.subject HISTORY en
dc.title 9. “Gnosis”: Cristianismo gnóstico; Hermetismo e Neoplatonismo: as Raízes do Esoterismo na Antiguidade pt
dc.type bookPart pt


Files in this item

Files Size Format View
Ata Cristinanismo Gnostico.pdf 879.8Kb PDF View/Open

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Advanced Search

Browse

My Account